Com gol de Cazares, Galo vence Botafogo e se garante na Libertadores

Por: Alecsander Heinrick


Resumo: Atlético 1 x 0 Botafogo

No sábado (01) o Atlético entrou em campo pela última vez em 2018, o adversário foi o Botafogo, no Independência. Dependendo só de si para se classificar para a Libertadores 2019, o Galo fez o dever de casa e venceu o time carioca por 1 a 0, gol de Cazares.

O técnico Levir Culpi teve todos os jogadores a disposição (exceto Blanco que está machucado desde o meio do ano) e foi à campo com o time considerado titular. Maidana voltando de suspensão e Adilson voltando de lesão foram titulares, Zé Welison, também voltando de lesão, ficou à disposição no banco de reservas.

Torcida atleticana lotou o Independência e festa muita festa para apoiar o time rumo à Libertadores – Foto: Pedro Souza – Atlético

O Jogo

A partida começou com o Galo fazendo total pressão, já que necessitava da vitória. Logo aos 03’, Cazares cobrou escanteio fechado e Luan, na segunda trave escorou para a outra trave, Léo Silva cabeceou de novo para o meio da área e Ricardo Oliveira, dentro da pequena área, chutou do jeito que deu mas em cima da linha, Yuri tirou a bola, com ela viva ainda na área, Luan cabeceou de novo, dessa vez em direção ao gol, mas Yuri tirou novamente com o peito, na sobra Elias chutou da marca do pênalti, mas a bola acabou pegando em Luan (caído no chão após a cabeçada para o gol) e foi para fora. Aos 09’, outro escanteio cobrado por Cazares, Ricardo Oliveira desviou na primeira trave e quase encobriu o goleiro Gatito, mas a bola acabou caindo na parte de cima do gol. Aos 17’, Luan acionou Emerson na ponta, o lateral foi ao fundo e cruzou rasteiro para Cazares que chegou batendo de primeira e abrindo o placar no Independência; o equatoriano que vive excelente fase participou diretamente de 5 dos últimos 6 gols do Galo. O Botafogo, mesmo após sofrer o gol não oferecia perigo ao Atlético, já o alvinegro mineiro continuava no ataque em busca de ampliar o placar.

Aos 26’, Cazares cobrou falta e Adilson desviou a bola de calcanhar/chaleira e quase marcou um golaço, a bola passou bem perto do gol. Aos 31’, uma jogada inusitada, Chará puxou contra-ataque e Ricardo Oliveira se posicionou em posição de impedimento, o colombiano mesmo assim tocou no atacante e Ricardo, com sua experiência, percebeu que estava em impedimento e chamou Chará para pegar a bola que ele mesmo havia tocado, o juiz e o bandeira entenderam que Ricardo não participou do lance e deixou o jogo seguir, a zaga do Botafogo já estava parando na jogada quando Chará pegou a bola de novo, viu a movimentação de Ricardo Oliveira que correu para a área e cruzou, o atacante desviou na primeira trave e a bola passou perto do gol. Aos 34’, em falta perigosa para o Atlético, Ricardo Oliveira cobrou, a bola desviou na barreira e obrigou Gatito a fazer boa defesa. Aos 48’, dois lances de perigo para o Galo. No primeiro, Luan recebeu na entrada da área, girou e bateu, Gatito novamente fez boa defesa; no segundo, Chará roubou a bola, acionou Luan na esquerda e correu para a área, Luan viu e cruzou rasteiro para o colombiano na marca do pênalti, mas ele acabou pegando mal na bola e desperdiçando grande chance.

Cazares foi o grande nome do Atlético na reta final do campeonato; foi decisivo mais uma vez marcando o gol da vitória – Foto: Bruno Cantini / Atlético

Se o primeiro tempo foi de total domínio do Atlético, o segundo não teve nada disso. O Botafogo voltou dos vestiários pronto para estragar a festa da torcida atleticana e quase conseguiu. Logo com 01’, o Botafogo teve contra-ataque e Kieza saiu cara a cara com Victor, mas na hora de chutar, Maidana chegou travando e salvando o Galo. Aos 13’, Cazares cobrou falta e a defesa do Botafogo quase marcou contra, mas a bola foi por cima do gol. Aos 18’, Pimpão se antecipou a Emerson em cruzamento e cabeceou com perigo, mas a bola foi para fora. Aos 28’, o Atlético-PR, lá no outro jogo, no Maracanã, virou o jogo e colocava muita pressão no Atlético, que se sofresse o empate seria ultrapassado pelo xará paranaense. Mesmo com os jogadores não sabendo do resultado do outro jogo, a partir daí, o jogo ficou totalmente tenso. O Atlético não conseguia mais atacar e via o Botafogo ficar mais tempo com a bola e gostar do jogo. Aos 47’, o lance que quase parou o coração dos atleticanos, Pimpão limpou Fábio Santos e cruzou na área, Kieza, sozinho na pequena área, cabeceou para fora a bola que poderia tirar o Atlético da Libertadores.

O Atlético ficou 34 rodadas no G6 e conseguiu se manter nele na rodada mais importante, a última. O time fecha o ano em 6° colocado, com 59 pontos. O Galo volta a campo agora só em 2019 e, segundo Levir, bem reformulado até lá, com uma equipe mais forte ainda para ir longe na Libertadores.

Muita vibração dos jogadores ao final da partida com a classificação do time à Libertadores – Foto: Bruno Cantini / Atlético


FICHA TÉCNICA

Atlético 1×0 Botafogo

Local: Independência, Belo Horizonte (MG)

Data: Sábado, 01 de Dezembro de 2018

Horário: 19h (horário de Brasília)

Gols: Atlético: Cazares (17’ 1°T)

Árbitro: Bráulio da Silva Machado (AB-SC)

Auxiliares: Kleber Lúcio Gil (FIFA-SC) e Neuza Inês Back (FIFA-SC)

Cartões amarelos:  Leonardo Silva, Elias, Emerson, Victor (Atlético); Matheus Fernandes, Yuri, Rodrigo Pimpão (Botafogo)

Atlético: Victor; Emerson, Leonardo Silva (Gabriel), Gabriel, Fábio Santos, Adilson, Elias (Zé Welison), Luan, Cazares, Chará e Ricardo Oliveira (Terans); Técnico: Levir Culpi.

Botafogo: Gatito Fernández; Marcinho, Marcelo Benevenuto, Igor Rabello, Moisés, Gustavo Bochecha (João Paulo), Matheus Fernandes, Marcos Vinícius (Leandrinho), Yuri (Ezequiel), Kieza e Rodrigo Pimpão; Técnico: Zé Ricardo.


Estatísticas da Partida


As estatísticas da partida em outra perspectiva


Siga o Galo Estatísticas nas redes sociais:

–> Twitter

–> Instagram

Compartilhe e opine!

–> Twitter: @aIecss

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *