Análise: Galo x Internacional – Mais do mesmo depois da chuva

Por: Lucas Silva e Rodrigo Campos

Foto por: Bruno Cantini / Atlético


Galo 0 x 1 Internacional

Galo e Internacional entraram em campo lutando pelas primeiras posições do Campeonato Brasileiro, mas o que se viu no final foi apenas uma das equipes concentrada no objetivo. O jogo, válido pela 17° rodada, terminou 1 a 0 para o Inter. Na noite chuvosa, com direito a granizo e apagão no horto, o Galo perdeu a chance de se consolidar nas primeiras posições.


1° Tempo: Posse defensiva

Galo iniciou o jogo com a mesmo esquema tático usado contra o Bahia e que está sendo utilizado durante toda a temporada, o 4-1-4-1. A novidade de Larghi foi a utilização de dois jovens laterais, Emerson e Carlos Gabriel. Veja abaixo o esquema inicial:

Esquemas iniciais (Errata: Pottker está invertido com Nico López)

No primeiro tempo, o Galo teve uma posse de bola mais defensiva, ou seja, não conseguia progredir no campo mas mantinha a posse de bola, muito pelo forte sistema defensivo do Inter, que tem a segunda melhor defesa do Campeonato Brasileiro. O Galo só progredia quando conseguia ataques rápidos e diretos, prioritariamente pelas pontas e com Yimmi Chará.

Um dos fatores causadores dessa dificuldade de quebrar as linhas do Inter foi o meio de campo pouco criativo. Com Elias e Galdezani pouco inventivos, a construção foi prejudicada, fazendo Larghi optar por trazer Luan e Chará, os pontas da formação inicial, para buscar o jogo na saída de bola ao lado de Zé Welison. Dessa maneira, os laterais davam mais amplitude e subiam mais, empurrando os extremos e laterais do Inter, que ficavam muito recuados e não conseguiam atacar o espaço na defesa do Galo.

Saída de Bola do Galo (Luan e Chará dando opção)

No ponto de vista defensivo, dava certo. O Inter fechou o primeiro tempo com apenas uma finalização de perigo. Em mais uma falha da zaga, Pottker quase abre o placar. Majoritariamente, o Inter tentava chegar ao ataque através de bolas longas, que não fizeram efeito.

Já no ponto de vista ofensivo, o time ficou muito dependente de Chará, uma vez que era o único que criava e aproveitava os espaços no último terço. Luan, apesar de muito bem defensivamente, ficou preso na construção numa faixa mais baixa do campo, sem aparecer muito no campo de ataque.

Passes do Atlético (Wyscout)


Dificuldade na criação

Com Elias e Galdezani como interiores, a construção do times ficou prejudicada. Nós já mostramos como ficou a saída de bola, mas ainda temos mais problemas. Galdezani até que se movimentou bem, procurando os espaços, sempre transitando entre a segunda linha de marcação do Inter, porém teve problemas em criar quando possuiu a bola. Galdezani foi apenas o 7º jogador que mais trocou passes e Elias apenas o 8º.

Galo x Internacional – Passes

Elias que, pelo seu posicionamento, fica muito afastado dessa zona de construção, tendo liberdade para pressionar a saída de bola no campo adversário e com pouca responsabilidade na recomposição. Veja o mapa de calor do jogador na partida de ontem:

Mapa de Calor: Elias contra o Inter (Wyscout)


Mais do mesmo depois da chuva

O segundo tempo se desenhava com mais espaços e o jogo tendia a melhorar. Foi quando começou a chover no Horto e logo em seguida o jogo foi paralisado por causa do granizo. Quando a partida reiniciou, mais uma paralisação, agora por conta da queda de energia no Horto.

Depois da chuva, veio o pesadelo atleticano. Mais uma vez o time levou um gol com a jogada se iniciando em uma batida rápida de falta do adversário. A falta de atenção foi explícita. Os jogadores estavam distraídos, adiantados e muito perto do local da falta, gerando o espaço que o Inter precisava.

Frame do lançamento na batida de falta (Imagem: Premiere)

Não é novidade essa falta de atenção. Só depois da parada para a Copa do Mundo, foram 4 gols assim. Contra o Grêmio, a falta batida rapidamente pegou a zaga desprevenida e André marcou de cabeça. Contra o Palmeiras, a falta no último minuto da partida. Contra o Bahia, a falta depois da falha de Elias e o gol de Gilberto. Por fim, o gol levado ontem.

Mais uma vez: FORÇA MENTAL, a principal falha do Atlético nos últimos anos.

Além da falta de atenção, os gols levados contra o Inter e Palmeiras tem a colaboração da marcação sempre alta do Galo. Larghi utiliza essa estratégia, principalmente em bolas paradas. Sim, estão acontecendo erros e essa estratégia deve ser revista, uma vez que esses erros não são mais casuais, já são recorrentes.

 

Larghi: Inocente?

Não. Larghi não está livre de culpa.

Trocar? NÃO, POR FAVOR NÃO!

Assunto para outro texto…

 


Ficha Técnica

Partida: Internacional 0 x 1 Atlético MG

Motivo: Campeonato Brasileiro, 17ª Rodada

Data: 06/08/2018

Horário: 20:00


Estatísticas da Partida


As estatísticas da partida em outra perspectiva


Siga o Galo Estatísticas nas redes sociais:

–> Twitter

–> Instagram

Compartilhe e opine!

–> Twitter: Lucas Silva

–> Twitter: Rodrigo Campos

 

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *