Análise: Galo 0 x 0 Vasco – Desempenho bom, resultado ruim

Por: Lucas Silva e Rodrigo Campos

Foto por: Bruno Cantini / Atlético


Atlético 0 x 0 Vasco

Em uma noite de muita oportunidades criadas, o Galo não conseguiu marcar gols e amargou um empate em 0 a 0 dentro de casa na noite de quinta feira.


Primeiro tempo – Modificações na busca pelo gol

O Atlético começou a partida com muitos passes no campo de defesa, com Cazares na base da jogada, organizando e claramente instruído a tentar viradas de jogo da esquerda para a direita. Essa foi também a proposta durante o primeiro tempo: construção pela esquerda e fim da jogada pela direita, com Emerson e Chará com qualidade na associação e nas jogadas de profundidade.

Com o Vasco recuado e com intensidade na marcação, Larghi adiantou Cazares para jogar entrelinhas visto que Nathan não conseguia nem jogar com profundidade pela ponta esquerda nem trazer para dentro pra construir entre as linhas. A ação não render sucessos ao time, já que, o Vasco, bem compactado, não permitia essa bola chegar com facilidade no campo de ataque.

Mesmo com chances claras de gol, o Galo não conseguiu abrir o placar.

Formações iniciais (Galo no 4-1-4-1)


Segundo tempo – Jogo pelas laterais

Na saída de campo o meia Nathan disse que o planejamento da equipe era criar jogo pelas laterais para fugir do forte bloqueio central feito pelo Vasco. Assim, com a entrada de Luan, o time passou a ter dois lados bem fortes para criar jogadas laterais. Com a trinca no lado esquerdo formada por Fábio Santos, Cazares e Chará e a trinca pela direita formada por Elias, Emerson e Luan.

Como Cazares e Luan buscavam o jogo bem próximos aos zagueiros, Galdezani se viu em uma sinuca de bico, pois com os meias próximos a ele seria necessária alguém para criar linhas na frente. Porém, caso o volante avançasse e o time perdesse a posse de bola poderia deixar Cazares ou Luan em dificuldades defensivas. Com o passar da segunda etapa o volante começou a melhorar nesse posicionamento e ter mais confiança para definir o momento exato para subir ao ataque.

Basicamente, as trincas pelos lados possibilitaram ao time criar um bom volume de jogo com o time finalizando 19 sobre o gol de Martin Silva. Cazares como epicentro ofensivo se deu muito bem quando Chará esteve do lado esquerdo com a dupla protagonizando boas interações ofensivas. O equatoriano foi o melhor jogador da equipe com boa distribuição de passes curtos pelo meio/lado direito, além de acertar 7 viradas de jogo e criar 7 chances de gol.

Passes do Atlético – Distribuição centralizada com Cazares (Wyscout)

Com a saída de Elias para entrada de Tomás Andrade o objetivo era melhorar a criação de jogadas pelo lado direito através de passes curtos a fim de chegar na área seguindo o modelo de jogo implementado por Larghi. Infelizmente, a equipe passou a criar menos chances nos últimos minutos da partida e Larghi apelou para o tudo ou nada com Denílson no lugar de Galdezani. O jovem atacante seria responsável por fazer o pivô e aproveitar sua boa estatura em cruzamentos na área vascaína.

Como não houve diferencial na entrada de Tomás Andrade, talvez seja a hora de Larghi começar a pensar em novas formas para furar retrancas e alterar algumas movimentações ou substituições a fim de solucionar o problema. Talvez em alguns momentos jogar com Denílson e Ricardo Oliveira criando formas de chegar pelos lados e cruzar a bola. Além disso, melhorar alguns mecanismos sem alterar peças em campo como, por exemplo, conseguir fixar a equipe rival em balanço para um lado e Cazares virar a bola para o lado contrário com o ponta e o lateral criando situações em igualdade ou até superioridade numérica para chegar bem na linha de fundo.

Cruzamentos do Atlético (Wyscout)

Portanto, o resultado serve para entender como resultado e desempenho nem sempre caminham juntos e também como aprendizado para criar novas situações a fim de surpreender as retrancas adversárias. Novamente, a dupla Cazares-Chará se deu bem pela esquerda e Emerson mostra como é um lateral de bastante potencial para tomar conta da posição por anos.

Duelos Ofensivos do Atlético – Chará como destaque (Wyscout)


Estatísticas da Partida


As estatísticas da partida em outra perspectiva


Siga o Galo Estatísticas nas redes sociais:

–> Twitter

–> Instagram

Compartilhe e opine!

–> Twitter: Lucas Silva

–> Twitter: Rodrigo Campos

 

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *